Adolescentis terrificus. Ou não tá mole, não.

Ser mãe não é fácil, isso é ponto pacífico. Ser mãe solteira ainda é mais difícil. Sou mãe ex-casada. Duas vezes. Com duas filhas cuja diferença de idade é sete anos. Ou seja, serei mãe de adolescentes pela próxima década. Vou ter que conviver com o desprezo, o silêncio, o drama e o caos. O mundo acaba em minha casa pelo menos três vezes. Isso num dia bom. Pode ser bem mais se houver questões insolúveis como acne, cabelo, roupas. Se forem amores, pode haver uma hecatombe nuclear no primeiro andar do predinho em que vivemos.

Isso não é desprezo. Não estou aqui menosprezando o sofrimento de ninguém. Cada ai é uma demonstração da minha velhice, do quanto estou longe dos mesmos sentimentos. É difícil demais compreender profundamente dores que você sabe que vão passar. Ou a gente entende mas tem sempre uma postura arrogante, superior, que só aumenta a agressividade e o distanciamento da espécie.

Todo dia é um esforço para um cala boca mãe. Para que eu me reduza à minha insignificância e deixe que minha filha viva algo que é só dela. Individual. Singular. Exclusivo. E que se já vivi algo parecido foi no tempo das cavernas. Grrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrr.

Share
Janaína Leite
Sobre o autor

Janaina Leite é professora universitária e publicitária especializada em marketing político. Também é mãe.

Share on

Leave a reply