sobre mães e calçados ou “Cinderellas atrapalhadas”

A mãe ligou gritando. A menina foi para casa com o sapato do mesmo modelo, mas envelhecido. A mãe gritou mais ainda. Reclamou. Chamou a amiguinha dela de tudo que é nome. Disse que a outra deu uma de esperta e trocou os sapatos. A mãe da outra veio correndo à escola. Muito educada. O sapato rosa na mão. Foi logo entregando o par de sapatos. A gritenta verificou que eram bem mais velhos. Constatou que não houve uma troca. Que foi estúpida e fez papel de estúpida.

Teve que pedir desculpas às coordenadoras, à mãe e à coleguinha da filha. As duas CINDERELLAS atrapalhadas continuaram amigas.

Amanhã uma vai de tamanco a outra de havaianas.

WhatsAppFacebookTwitterGoogle+LinkedInEmailGoogle GmailYahoo BookmarksOutlook.com
João Porto
Sobre o autor

JOÃO PORTO é professor de artes visuais, Mestre em Educação e Linguagens pela Universidade Federal do Espírito Santo e cursou Doutorado em Educação e Práticas Inclusivas no PPGE CE UFES e UTEP University of Texas at El Paso. Publicou diversos artigos científicos em revistas e livros especializados.

Share on