Já pensou em economizar saúde para sua aposentadoria?

Depois do aniversário, do ano novo ou de uma doença, muitas pessoas começam uma programação de vida mais saudável.

Alguns em função da maturidade e outros porque se assustaram com algum episódio da vida. Então, aproveitando esse período de mudança, poderíamos adquirir alguns hábitos mais positivos e com maior disciplina.

Lembro-me de um professor no meu curso de Gerontologia que dizia que a velhice não deveria ser sinônimo de doença e muitas vezes o é por causa do nosso comportamento na juventude. Ele dizia que assim como pensamos no dinheiro que devemos economizar na juventude para a hora da nossa aposentadoria,  deveríamos também pensar em “economizar” nosso organismo para suportar bem as mudanças naturais que o tempo apresenta.

Recentemente circulou pelo Facebook uma “piadinha” que dizia mais ou menos assim: “fígado, aguente firme que aí vem o carnaval”. E muitos de nós rimos, como se fosse super divertido passar mal por causa do uso excessivo de álcool ou sendo uma grande vantagem “destruir” o fígado durante os 4 dias. Sugiro que cuidemos mais da nossa alimentação evitando todo tipo de exagero.

Inclusive, que fiquemos mais atentos com a alimentação das nossas crianças. Ouvi um comentarista (médico) do Jornal da Cultura dizendo que os maus hábitos alimentares das crianças têm sido tão graves que, se continuarem obesos na vida adulta e sedentários, poderão vir a morrer antes de seus pais.

Outro ponto fundamental nessa programação de atitudes mais saudáveis seria em relação às nossas emoções, pensamentos e palavras. Hoje há uma epidemia de doenças relacionadas ao estresse e a ansiedade. Precisamos DESACELERAR urgentemente. Há comportamentos simples que podem nos acalmar, como caminhadas junto à natureza, ouvir uma boa música, conversar com os amigos, ficar em silêncio e viver o momento presente. Qual foi a última vez que você se deu ao direto de não fazer nada?

Não vale a pena alimentar a raiva, a inveja, o medo, dentre outros sentimentos que tiram a nossa preciosa paz. Pensem nisso!

Share
Odete Loureiro
Sobre o autor

ODETE MARIA LOUREIRO RIBEIRO é Assistente Social e trabalha atualmente no Poder Judiciário (RJ), lidando diretamente com questões relacionadas a crianças em situação de risco e pais candidatos a adoção. A Odete cursou Especialização e Mestrado Profissional em Gerontologia na Espanha (Universidade de Salamanca), é autora do livro “Adoção", pratica yoga, meditação, é vegetariana e adora uma boa foto.

Share on

Leave a reply